sexta-feira, janeiro 26, 2007

Desejos. Que os anjos digam amem!

Espero ensinar meu filho a relaxar. Esse é sem dúvida um aprendizado importante em tempos de estresse.
Se, como nos contos de fadas, eu pudesse desejar um dom para o meu filho, certamente seria o dom da leveza.

Meu filho querido, que você leve a vida leve e, que na sua companhia, todos os seres - homens, mulheres, crianças, animais, entidades mágicas – se sintam maravilhosamente leves.

Leveza significa viver sem atropelos, consciência tranquila, respeito ao próximo, facilidade para amar sem o peso dos grandes amores, capacidade de se reinventar sempre que for necessário, dom de levantar mais forte depois de uma queda, que ao invés de te derrubar terá te enriquecido. Que você seja um homem de honra e que eu me orgulhe sempre por ter sido escolhida como sua mãe. Estou morrendo de saudades!

3 comentários:

Juba ::: disse...

ô coisinha mais bonitinha... áfi, se eu que tenho gatos, sinto falat, que dirá um coisinho feito o Lucas. vamos marcar um parquinho na volta, hein? Amor de mãe é melhor que sorvete de flocos

Anônimo disse...

De uma coisa vc e seu marido podem ter certeza: o Lucas será mais calmo (zen) e levará a vida muito mais leve do que os que eu vier a ter... A genética é cruel, não dá pra escapar... Bem ou mal vcs são menos agitados e estressados do que nós... E foram crianças mais tranquilas também... A cada dia o tempo fica mais curto, as atividades do dia maiores e mais complexas, as exigências do mercado de trabalho também, o que faz com que tenhamos que gastar mais tempo livre nos aperfeiçoando, estudando... As cobranças dentro de casa e no trabalho, as responsabilidades... Tenho pena das novas gerações. Ou elas são educadas para darem menos importãncia para dinheiro, status social e mega empregos e passem a visar uma vida e futuro mais simples ou podem estar fadadas a serem workholics ou pessoas estressadas... Sei que a virtude está no meio, mais é dificil não se colocar nesses extremos... Nesse ponto o carioca, até por uma questão de clima e geografia são mais abençoados que os paulistas... No fim de semana ou no final de tarde a praia está ali, ao alcance (sem quilômetros de engarrafamento pra se chegar nela), e ela não é só um lazer, mas uma espécie de retiro espiritual para meditação ou relaxamento, ou mesmo malhação... Assim como os parques e cachoeiras abundantes... Na verdade, temos que nos focar em qualidade de vida e um mínimo de conforto para atender nossas necessidades básicas (boa comida, atividade física, carro, casa, estudo (cursos), lazer, viagens). Temos que trabalhar e ganhar o suficiente pra isso... Parece muito? Acho que é viver com um mínimo de dignidade... Mais que isso é lucro e não temos que nos matar para conseguir! Acho que é um pouco dessa idéia que temos que passar para nossos filhos. Vivam, busquem ser felizes, aproveitem... A vida é curta e a jornada, longa... Tirem o melhor das coisas, aprendam... Tentem ser melhores a cada dia... Tenham opinião própria, façam suas escolhas seguindo o caminho do bem... Não pisem em ninguém pra subir na vida e ajudem aqueles que puderem (façam caridade despretenciosa)... Não esperem reconhecimento, apenas façam o seu... Importem-se menos com as coisas materiais e valorizem as pessoas e os sentimentos... Façam auto-crítica de vez em quando e percebam seus defeitos e qualidades e como melhorá-los... Amem e distribuam amor... Não sejam religiosos mas tenham fé verdadeira, se encontrem dentro da espiritulidade... Não reclamem de tudo ou por nada... Sejam pacientes com os mais velhos, as crianças, os doentes e os ignorantes... Enfim, sejam pessoas do bem, tranquilas, felizes e dignas...

Bianca disse...

foi mal errei a publicação anterior... Coloquei anônimo, mas fui eu Bianca... bjs