terça-feira, junho 27, 2006

Estranhezas


Experiência de uma carioca no mundo rock paulista.

Tinha tempos que eu não saia sozinha para ouvir rock, aliás, a minha veia mundana anda resguardada. Digamos, que dar asas ao mundanismo não é pra qualquer um e eu me conheço - melhor deixar quieto. Fui no Hangar ver a banda de um amigo de trabalho e me diverti a valer. Tudo muito estranho e familiar. Preto, muito preto. Cerveja, muita cerveja. Meninotas e moleques encapotados. E, eu, uma trintona com cara de menininha, disfarçada entre a rapaziada - me pediram até o RG n hora de comprar uma breja. A música, pesada e de primeira linha. Só ouvir e deixar fluir... Você aprende isso com o tempo. Ouvir e observar. Viajar sem ajuda de aditivos. Nada que uma latinha de cerveja não resolva. Tenho outros interesses agora.
Cheguei em casa cedo, a tempo de tomar uma sopa com a minha minifamília. Rock'n roll aqui é matinê. Ninguém tem tempo nem para enfiar o pé na jaca. Hard São Paulo.

3 comentários:

arbalsini disse...

Bom, depois deste relato tão interessante, afinal, qual o nome da banda?
Realmente o tempo passa e nossas percepções mudam. Os ambientes já não parecem os mesmos...
Bjs

Anônimo disse...

Pri, que saudade!!!! Rock em Sampa pelo jeito é justamente pra quem te família! beijos Paulinha

Juba ::: disse...

ô, Pri, cadê você??? Escreveaê... Tá tão bom...
Ah, avisa o André que eu não consigo entra no blog dele, será que eu mac não roda?